tamanho de fonte:
Pesquisa básica



Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM/PR)

 

O paradoxo entre a maior inserção social das mulheres e a baixa participação feminina nos espaços de poder:

Refazendo a política de cotas

A educação brasileira avançou muito em termos quantitativos, mas pouco em termos qualitativos. Houve avanços significativos, especialmente para as mulheres que reverteram as desigualdades de gênero na educação brasileira, pois em 1960, a escolaridade média dos homens
brasileiros era de 1,9 ano e a das mulheres, de 1,7. Já em 1996, esses números passaram a, respectivamente, 5,8 e 6,1 anos. A diferença, que era de 0,2 ano em favor dos homens no censo de 1960, passa, em 1996, a 0,3 ano em favor das mulheres. Pelos dados agregados, a reversão do hiato de gênero ocorreu na década de 1980. ... (AU)

Informações de Categorização

Assunto(s): Cotas; Eleições; Mulheres; Participação política;
Autor(es):

  • Alves, José Eustáquio Diniz()
  • Cavenaghi, Susana()
Editora: UFSC;
Local: Santa Catarina (SC)
Tipo de Publicação: Artigos eletrônicos;

Informações da Publicação

Link/URL: http://www.fazendogenero.ufsc.br/8/sts/ST29/Alves-Cavenaghi%20_29.pdf
Ano da Publicação: 2008
Notas:

In: Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder - Florianópolis - 25 a 28 agosto 2008>
Grupo de Trabalho - ST 29 - Relações de poder e de gênero 
Acesso em: 15 set. 2014


Informações Adicionais

Arquivo Anexado: 828_435_Alves-Cavenaghi.pdf

IMS/UERJ - R. São Francisco Xavier, 524, 6º Andar, BL. E - 20550-013 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil - Tel.: (21) 2568-0599