CLAM - Principal  

TAGs

Traduzir

EM DESTAQUE | notícias CLAM
 
Brasil

CLAM na Anpocs 2006

O 30º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs) terminou no sábado, 28 de outubro, em Caxambu, Minas Gerais. Pesquisadores do CLAM participaram do evento através de três grupos temáticos (GTs) – “Sexualidade, Corpo e Gênero”, “Juventude: sexualidade, gênero e reprodução” e “Corpo, Biotecnologia e Saúde”.

O primeiro foi coordenado pelos pesquisadores Maria Filomena Gregori (UNICAMP), Sergio Carrara (CLAM/IMS/UERJ) e Julio Assis Simões (USP). Uma das atividades do GT, o painel “Sexualidade, corpo e gênero”, teve como debatedora a antropóloga Laura Moutinho (CLAM/IMS/UERJ). Do CLAM participaram, ainda, neste GT os pesquisadores Bruno Zilli – que apresentará o trabalho O perverso domesticado: da patologia à diversidade sexual num estudo sobre o discurso “BDSM” na Internet e Silvia Aguião – Raça e homossexualidade em uma favela do Rio de Janeiro. (clique aqui para ler o resumo do GT)

“Juventude: sexualidade, gênero e reprodução” foi coordenado pelas pesquisadoras Maria Luiza Heilborn (CLAM/IMS/UERJ), Daniela Knauth (Nupacs/UFRGS) e Elaine Reis Brandão (NESC/UFRJ).(clique e veja o resumo)

“Corpo, Biotecnologia e Saúde” teve como coordenadoras Jane Araújo Russo (IMS/UERJ), Ceres Gomes Victora (UFRGS) e Cynthia Andersen Sarti (UNIFESP). (clique para ver o resumo)

No Encontro, o CLAM lançou três livros de sua coleção: “A mulher no corpo: uma análise cultural da reprodução”, de Emily Martin, “A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual”, de Berenice Bento e “O Aprendizado da Sexualidade: reprodução e trajetórias sociais de jovens brasileiros”, organizado por Maria Luiza Heilborn, Estela M. L. Aquino, Michel Bozon e Daniela Riva Knauth. O lançamento das obras aconteceu no dia 24 de outubro, durante o coquetel de boas-vindas, às 21h30. Além de GTs e lançamentos de livros, o Encontro teve ainda cursos, workshops, fóruns, mesas-redondas e seminários temáticos, entre outras atividades.

Veja a programação completa.

Leia abaixo os resumos dos GTs coordenados por pesquisadores do CLAM

GT22 - Sexualidade, corpo e gênero
Coordenador(es): Maria Filomena Gregori (UNICAMP), Sergio Carrara (UERJ), Julio Assis Simões (USP)
Nas Ciências Sociais brasileiras, os estudos que tratam de temas relacionados à sexualidade, corpo e gênero constituem um campo diversificado e que abrange uma multiplicidade de enfoques, desde a regulação do comportamento sexual e os valores subjacentes até às expressões identitárias (de cunho político e/ou estético) relacionadas a práticas afetivo-sexuais. O objetivo desse grupo de trabalho é o de discutir estudos que apresentem instrumentos para o refinamento teórico e metodológico a partir de investigações que, tomando variadas manifestações relativas ao corpo e à sexualidade, destacam as conexões entre gênero e outras categorias de diferenciação, tais como idade, raça, etnia e classe social. Pretende-se que as sessões sejam delimitadas em meio às seguintes temáticas: erotismo, práticas sexuais e indústria do sexo; escolhas, identidades e direitos sexuais; curso da vida e gerações nos usos, técnicas e tecnologias corporais; produção cultural e usos da imagem.

ST05 - Juventude: sexualidade, gênero e reprodução
Coordenador(es): Maria Luiza Heilborn (UERJ), Daniela Knauth (UFRGS), Elaine Reis Brandão (UFRJ)
O processo de transição à vida adulta alterou-se muito nas sociedades ocidentais modernas. Mudanças no estatuto infantil, redimensionamento da autoridade parental, novas normas educativas, transformações nas relações de gênero e entre gerações compõem novo cenário social e familiar. A construção social da adolescência se faz sob o aprofundamento do processo de individualização, com dinâmicas peculiares em cada segmento social. Novos comportamentos e valores sexuais convivem com antigas prescrições de gênero. Comumente temas como gravidez, aborto, Aids, violência sexual integram o debate público sobre uma eventual regulação da sexualidade juvenil. As tensões entre normatização da sexualidade e possibilidades de construção da autonomia por meio do aprendizado da sexualidade sugerem visões distintas sobre o estatuto juvenil. Pretende-se discutir novas configurações da sociabilidade juvenil, a institucionalização da sexualidade, medicalização dos comportamentos sexuais e reprodutivos, práticas corporais e de saúde, relações intergeracionais, espaços de regulação da sexualidade juvenil, impacto das políticas sociais nos jovens, segundo recortes de gênero, classe social e raça/etnia.

GT03 - Corpo, biotecnologia e saúde
Coordenador(es): Jane Araujo Russo (UERJ), Ceres Gomes Victora (UFRGS), Cynthia Andersen Sarti (UNIFESP)
Este GT objetiva reunir pesquisas em torno dois fenômenos contemporâneos: a invasão avassaladora das biotecnologias no campo médico produzindo novas questões éticas e políticas; o florescimento de um conjunto de práticas de cuidado de si que, associadas à multiplicação das biotecnologias, têm no corpo seu principal alvo de intervenção. O objetivo de nossa proposta é fomentar e produzir uma reflexão sobre esses fenômenos a partir das ciências sociais, visando fornecer uma alternativa às análises naturalizantes vindas do campo biomédico. Acreditamos que as questões envolvidas neste debate dizem respeito a novos modos de controle dos indivíduos e das populações que, sem passar necessariamente pelo poder do Estado, apontam para o surgimento de um novo sujeito político e para uma nova forma de constituição de si enquanto cidadão no mundo público. Propomos quatro temáticas a serem desenvolvidas: Medicina e saúde: formas de gestão da vida; Corpo e biotecnologia: formas de difusão e de resistência; Bioética e novas tecnologias de intervenção sobre o corpo; Corpo, estética e consumo.

Publicada em: 31/10/2006

voltar




IMS/UERJ - R. São Francisco Xavier, 524, 6º Andar, BL. E - 20550-013 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil - Tel.: (21) 2568-0599